NHÔ PAI

O compositor da inesquecível "Beijinho Doce"

fonte: www.boamusicaricardinho.com

 

na foto: Nhô Pai e Nhô Fio

 

        João Alves dos Santos, o Nhô Pai, nasceu em Paraguaçu Paulista/ SP no dia 28 de março de 1912 e faleceu também na cidade Paraguaçu,, no dia 12 de março de 1988

        O compositor de "Beijinho Doce" foi lançado por Ariowaldo Pires (o Capitão Furtado) e, como intérprete, formou duplas com seu compadre Nhô Fio, sua prima Nhá Fia e também com sua irmã Nhá Zefa. Também chegou a cantar juntamente com Tonico, da dupla Tonico e Tinoco.

        Nitidamente influenciado pela música paraguaia, Nhô Pai fez bastante sucesso nos anos 40 e 50 interpretando vários rasqueados.

        Em 1943, cruzando pastos em carros de boi, viajando em caminhões de mudança, Nhô Pai excursionou pelo interior paulista, pela região do Triângulo Mineiro e pelos estados de Mato Grosso e Goiás, juntamente com o Capitão Furtado, Nhá Fia e Mario Zan. Apresentaram-se em diversos lugares incluindo cinemas, salões de igrejas e pracinhas.

        Já tendo cantado em dupla com Nhô Fio e Nhá Zefa, Nhô Pai formou em 1942 uma dupla com João Salvador Peres, o Tonico da dupla Tonico e Tinoco. Intrepretaram o rasqueado "Casinha de Carandá" (Nhô Pai) e a valsa "Gauchita" (Zé Mané). No mesmo ano, Nhô Pai também gravou com Nhô Fioa moda de viola "O Brasil Entrou na Guerra" de Nhô Pai e Ariowaldo Pires, além do rasqueado "Fronteira" de Nhô Pai e Edgard Cardoso.

        Outro fato curioso se deu em 1944, quando Nhô Pai compôs e gravou juntamente com Nhô Fio o desafio "Corinthians x São Paulo" (Nhô Pai/ Nhô Fio), incluindo o futebol, tema caracteristicamente urbano como assunto também na música caipira.

        Como compositor, seu maior sucesso foi sem sombras de dúvida o corrido "Beijinho Doce", gravado pela primeira vez em 1945 pelas Irmãs Castro e posteriormente pelas Irmãs Galvão. "Beijinho Doce" se tornou um dos maiores clássicos da Música Popular Brasileira, tendo sido incluída também no filme "Aviso Aos Navegantes" de 1951.

        Esse famoso corrido foi gravado também em diferentes ritmos, tais como valsa (por Adelaide Chiozzo e Eliana) e Baião (por André Penazzi). Mas foi em 1976 que "Beijinho Doce" voltou a ser novamente um grande sucesso quando foi gravado por Nalva Aguiar, que até então atuava predominantemente nos ritmos da Jovem Guarda. Segundo algumas opniões tal gravação estabeleceu um "segundo marco"  na migração de intérpretes da Jovem Guarda para a música Sertaneja, a exemplo de Sérgio Reis, quando da sua gravação de "Menino da Porteira" (Teddy Vieira/ Luizinho) em 1973.

        Nhô Pai deixou um expressivo repertório de composições em nossa música caipira, tendo tido diversos parceiros como Riellinho, Ariowaldo Pires, Piraci, Ado Bennati, Nalva Aguiar, Sulino, Mario Zan e Raul Torres, além dos já citados Nhô Fio e Nhá Zefa.

        Paraguaçu Paulista, por ser sua terra natal, tinha a presença constante do artista, seja dirigindo o famoso "Circo Nhô Pai", seja em shows beneficentes com seus vários parceiros.

        Em uma das passagens de Nhô Pai por Paraguaçu, o jornal "A Comarca" retratou em 23 de agosto de 1951:

        "Com geral agrado vem apresentando seus espetáculos o "Circo Nhô Pai", sob a competente direção do nosso conterrâneo João Alves dos Santos - Nhô Pai.

        Nhô Pai deu à organização dos espetáculos de circo uma feição diferente e deveras interessante, compondo o programa de trêspartes distintas: circense, radiofênica e teatral. Em sua primeira parte destacam-se os Irmãos Campos, patrocinadores por excelência, que em pequeno tablado realizam toda sorte de diabruras, e Doralice Santos, perfeita hicarista, além de outros números de atração. Na parte cômica, por todo o espetáculo, Rapa-Rapa traz o público em constante hilariedade; trata-se de um cômico fino e que pela primeira vez vem ao interior. Rosinha e sua sanfona fazem a delicia na parte radiofônica; perita na excução de seu instrumento, dele arranca sons maviosos; faz parte do elenco artístico da Rádio América, Trio Mineiro, com Bolinha,Cambuí e Rosinha. Outro número notável é o da sambistaAnita Barros, que mexe e remexe - e tem conquistado os mais francos aplausos. A cantora Leonildes  Brasil, com suas belas canções, e Coringa com seu pandeiro, completam esse magnífico conjunto.

        Temos ainda Nhô Pai e Fiico - João e Antoninho Honório.

        Nhô Pai é ator consagrado, compositor apreciado e que desfruta de real pretígio no rádio. Fiico é novato, porém promete muito, sendo como é "senhor" do pinho e de bela voz. Sua apresentação tem agradado, conquistando aplausos. Na parte teatral destacam-se os Irmão Orlandino, entre os quais há uma moça que interpreta com alma os papéis que lhe são confiados. Muito apreciamos a "Sogra do Barulho", onde também apareceu uma caricata admirável.

 

A Rua Nhô Pai

 

        Através da Lei nº 2.098, de 08.02.2000, o prefeito de Paraguaçu Paulista deu o nome de “Nhô Pai” a uma travessa na cidade.

        Em sua justificativa ao Projeto de Lei o prefeito registrou:

        “No passado de nossa cidade há um momento musical todo ele preenchido por um paraguaçuense chamado João Alves dos Santos, conhecido no mundo artístico por “Nhô Pai”, autor de músicas populares das quais se destaca uma que se eternizou porque se internacionalizou. Trata-se de “Beijinho Doce” cantada pelos maiores interpretes musicais de seu tempo.

        Desde então e através do rádio e dos palcos e mais recentemente da televisão, a composição de Nhô Pai é ouvida e cantada por milhões de pessoas.

        É perfeitamente compreensível que o poder público municipal, numa iniciativa, ainda que tardia, preste sua homenagem ao famoso conterrâneo, dando o seu nome a uma das ruas de nossa cidade...”

 

 

© Luciano Queiroz - Todos os Direitos Reservados

Melhor Visualizado na configuração 1024 x 768 píxels